sábado, 13 de dezembro de 2014

O Alentejo espera por mim.


O Alentejo espera por mim.

O Alentejo espera, para sempre irá esperar, até ser totalmente despido de árvores, animais, pessoas, vida.


Haverá um tempo que nem o Sr. engenheiro irá levar a amante desta estação ao seu monte alentejano, nem um campo de golfe será regado. Só então poderemos voltar.

Depois de chuparem tudo teremos um lindo deserto onde construir uma casa.


Nossos filhos crescerão como cactos, lacraus bem instruídos, que só farão anos em ano bissexto, quando chover em lua cheia de Agosto.

Durarão séculos, enquanto desaparecem as babilónias que se encostam aos mares.


Um dia, depois de todas as civilizações, abandonarão seus buracos no deserto, para ocupar a desumanizada costa, e aí se alimentarem de peixe e algas.

Só então começará a Música.

Sem comentários:

Enviar um comentário