terça-feira, 19 de outubro de 2010

Economia e Sangue - capitulo 2



…senti leve torpor e náusea no corpo, logo pela manhã, e ela levou-me pela mão até à praia, sentir o cheiro do mar…


…ao chegar-mos, um nauseabundo fedor acordou-me de um lascivo coma matinal…


…milhares de cabeças afegãs flutuavam na praia, cobrindo o oceano…


…ela não aguentou e começou a chorar – não acredito na maldita poluição que estas multinacionais petrolíferas largam por todo o lado… pobres tartarugas, pobres gaivotas, como sobreviverão elas agora?


…quanto a mim, que me sentia já muito melhor, estava com pouca paciência para sensibilidades ecológicas, e a barriga dava horas de alarme…
 

-sim fofinha, é verdade, temos de fazer alguma coisa… falamos sobre isso no Mac – encerrei eu com genial elegância, levando-a pela mão…


Sem comentários:

Enviar um comentário