quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Uma forca da Natureza




O amor é como o mar.
Uma forca da Natureza.

Mar imenso, nos teus seios encontrei alimento sem fim. No teu abraço renasci incontáveis vezes.
Em tuas suaves ondas fui amado, cuidado.
Amigos e amantes descobri em todas as tuas praias, temperado pelo sal, nutrido pelo sol. Em tuas correntes descobri os horizontes depois do horizonte.

Belo e poderoso Mar, que me tentas a sonhar, a experimentar ser feliz.


Terrível, impiedoso Mar, que me arrancas a carne para teus ferozes filhos.
Em ti morri incontáveis vezes. Nas tuas correntes perdi de vista a terra dos pais. 
Porque me quebras os ossos nas tuas falésias? Porque me sufocas sobre o peso da tuas tempestuosas ondas? 

Medonho Mar, que me faz sonhar, para tudo levar consigo. Só a dor restou, o amargo sal, cozinhado pela raiva do sol.

2 comentários:

  1. Tens a cabeça toda lixada.

    ResponderEliminar
  2. ERRADO. é o coração... faça o favor de reler o texto

    ResponderEliminar