terça-feira, 7 de dezembro de 2010


O projecto do Comboio de Alta Velocidade em Portugal e a necessidade de o parar

Experiências de luta em Itália e no País Basco
18 de Dezembro, das 14h às 20h



O TGV, cujas obras vão ser brevemente iniciadas, é um dos projectos mais destruidores que o capitalismo concebeu para a região portuguesa. O impacto que terá no meio ambiente e nas vidas de todos é muito maior e muito diferente que aquele previsto por organizações ambientais e sociólogos do Estado. O TGV traz consigo a actualização do sistema de miséria em que todos vivemos abrindo a partir daqui o espaço necessário para que muitas mudanças sejam feitas na sociedade portuguesa. O controlo social, a transformação do território, a militarização das ruas e a urbanização desenfreada nas cidades, vilas e aldeias por onde passa a Alta Velocidade são apenas consequências imediatas de um projecto de desenvolvimento que é necessário combater.

Este processo de destruição teve já lugar em outras partes deste mundo, nomeadamente em França, Itália, Espanha e Pais Basco e em todos eles contou com grupos e movimentos de oposição variados tendo sido em alguns locais uma luta sem tréguas pela destruição das máquinas e instituições que queriam levar avante a construção da infra-estrutura do comboio. Muitas destas lutas continuam activas tal como as linhas de alta velocidade e o seu desfecho é imprevisível em inúmeros sítios. No meio de tudo isto apenas nos alegra o facto de que para muitos lutar contra o TGV é apenas o início de uma luta mais ampla contra o desenvolvimento do Capital e muitos outros dos seus projectos.


Perante a necessidade de divulgar e debater experiências de luta contra os vários projectos do TGV pela Europa (Itália e País Basco) e divulgar informação sobre este projecto em Portugal vai decorrer dia 18 de Dezembro na SEVERA a Jornada contra o TGV.

SEVERA: Largo da Severa nº 11, LIsboa, Mouraria.

Sem comentários:

Enviar um comentário