sexta-feira, 1 de julho de 2011

Já O Tempo Se Habitua




Nem o voo
Do milhano
Ao vento leste
Nem a rota
Da gaivota
Ao vento norte
Nem toda
A força do pano
Todo o ano
Quebra a proa
Do mais forte
Nem a morte

Sem comentários:

Enviar um comentário