quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Agora, nós, os cidadãos, somos a ameaça

CGTP: SIS não avisou PSP para possibilidade de invasão dos ministérios


Na sequência das ocupações de terça-feira à tarde, a PSP decidiu reforçar a segurança junto dos ministérios. O DN cita fonte policial que diz que terá havido uma falha de previsão do SIS.
O Serviço de Informações de Segurança em momento algum avisou a PSP para a possibilidade de invasão de ministérios.
O Diário de Notícias conta que nas avaliações de ameaças relacionadas com protestos, feitas pelo SIS e que depois são enviadas à polícia, não há qualquer referência, por isso as autoridades foram apanhadas de surpresa com a ação dos sindicalistas.
Fontes da PSP, citadas pelo DN, não escondem o mau-estar entre os dois organismos e interrogam-se mesmo sobre aquilo que consideram uma falha do SIS na antecipação deste tipo de iniciativa.
Ao jornal, um antigo elemento das secretas contrapõe e diz que seria impensável o serviço ter espiões no núcelo duro da CGTP.
Ainda assim reconhece que as avaliações de agora em diante terão de conter novas informações sobre os riscos em manifestações.
O DN revela, ainda, que depois da invasão de quatro ministérios, durante a tarde de ontem, o comando da PSP de Lisboa destacou cerca de 300 elementos das equipas de Intervenção Rápida para reforçar a segurança dos 13 ministérios.
Cada um será vigiado por 20 polícias que estão treinados para um nível de incidentes com potencial violento. Um reforço que é para manter até uma nova e exaustiva avaliação do SIS às ameaças que podem surgir em sequência de acções de protesto.

Sem comentários:

Enviar um comentário